4 erros comuns na manutenção de motos e como evitá-los - Dinho Lima

4 erros comuns na manutenção de motos e como evitá-los

Compartilhe este artigo:
   

Uma das grandes vantagens de ter uma moto é a sua manutenção mais simples e barata. Quando comparamos com os carros, é notável como os donos de motocicleta gastam menos tempo e dinheiro quando precisam visitar uma oficina mecânica.
Mesmo assim, ainda existem alguns erros relacionados à sua manutenção que são muito cometidos — tanto por motociclistas como por profissionais reparadores! Por mais que pareçam simples, alguns desses descuidos podem resultar em problemas bem maiores e comprometer seriamente a segurança ao pilotar.
Conheça, agora, 4 erros comuns na manutenção de motos para não cometer nunca mais!

1. Troca de óleo

Para não comprometer o funcionamento do motor, é importante verificar periodicamente o nível e a condição do óleo lubrificante. Afinal, é ele que garante a proteção das peças e componentes internos contra o atrito e as altas temperaturas atingidas durante o seu funcionamento.
Para descobrir o intervalo de tempo ideal para fazer esse procedimento, uma boa dica é consultar o manual da motocicleta. Nele também é possível descobrir qual o tipo de óleo lubrificante ideal para o modelo, que garantirá maior proteção e vida útil ao motor.

2. Lubrificação da corrente

Responsável por transmitir a força gerada pelo motor até as rodas, a corrente também precisa de cuidados, que costumam passar despercebidos na hora da manutenção de motos. Assim como acontece no caso do motor, o principal deles diz respeito à sua lubrificação.

Quem negligencia essa importante medida, que é fácil e de baixo custo, pode acabar se deparando com problemas bem maiores no futuro. Rodar com a corrente ressecada pode causar desgastes no sistema de transmissão, do qual também fazem parte a coroa e o pinhão.

Nesse caso, a manutenção certamente será bem mais cara e trabalhosa. Por isso, é importante que você sempre oriente o seu cliente a seguir a recomendação do fabricante e, assim, fazer a lubrificação da corrente de acordo com o intervalo especificado no manual do proprietário.

3. Calibragem dos pneus

Esse é outro cuidado que, de tão simples, pode acabar passando batido. Andar por aí com os pneus murchos, além de aumentar consideravelmente seu desgaste, pode afetar a estabilidade e a segurança do motociclista.

O ideal é verificar a pressão dos pneus pelo menos uma vez por semana. Indique aos seus clientes que um bom momento para fazer isso é na hora de abastecer, já que praticamente todos os postos de combustível disponibilizam gratuitamente compressores de ar para os consumidores do empreendimento.

4. Diagnóstico errado

Nem todos os erros são decorrentes da conduta do motociclista. Em alguns casos, a manutenção pode ser comprometida também em função de um diagnóstico incorreto já na oficina mecânica.

Para evitar essa situação no seu negócio, além de capacitação e conhecimento teórico dos seus funcionários, toda oficina precisa contar com as ferramentas e equipamentos adequados para a execução de cada tipo de serviço.

Nessa hora, um dos principais instrumentos que uma oficina deve ter para estar plenamente preparada é o scanner para motos. Sem ele, fica impossível o diagnóstico e reparo de problemas no sistema de injeção eletrônica — uma demanda muito comum quando falamos em manutenção de motocicletas.

Contudo, se a carência da oficina for de capacitação, o ideal é buscar por um curso de especialização na área. Afinal, quem trabalha em um setor tão dinâmico e cheio de inovações, como o de reparação automotiva, precisa se manter atualizado para não perder espaço no mercado.

Agora que você já conhece os 4 erros mais comuns na manutenção de motos, compartilhe este post em suas redes sociais e divida essas informações com outras pessoas!

Fonte: Chiptronic